Recentemente aqui:

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Traduzir-se - Ferreira Gullart

Essa semana perdemos um dos maiores ícones da poesia brasileira, José Ribamar Ferreira, mais conhecido como Ferreira Gullar.  E com isso, fica o Brasil culturalmente mais pobre, sobretudo num tempo caótico em que a poesia parece ocupar papel trivial ou secundário na vida do nosso povo. Povo que teve em Ferreira Gullar, um dos seus maiores defensores e incentivadores.  E assim, só nos resta agradecer a este grande homem e genial poeta, publicando aqui um dos seus poemas que traduz não só o próprio Ferreira Gullar, mas sim o ser humano seja de Nova Yorque, do Burundi ou do Rio de Janeiro.  Evoé! Ferreira Gullar.









4 comentários:

  1. Assim é a vida, todos partiremos sem dia nem hora marcada ,fiam as memórias e as palavras por ele ditas e escritas para todo o sempre ,beijinhos querida amiga feliz sexta-feira

    ResponderExcluir
  2. Bomdia, querida jack!
    Somos assim como diz o poema tão verdadeiro: um pouco esquizofrênicos e dualistas... rs...
    Pessoas de metades... não inteiros... Deus saberá porque!
    Mais um que o céu ganha para poetizar para os anjos e santos de Deus que por lá residem...
    Bjm muito fraterno

    ResponderExcluir
  3. Oi Jack!

    Mais uma estrela que parte, não é?
    E assim ficamos mais pobres intelectualmente.
    Que vá com Deus e descanse em paz!
    E sua árvore de Natal? Já montou?

    Bjks

    ResponderExcluir
  4. Excelente escolha, adoro este poema de Ferreira Gullar.
    Beijinhos
    Maria

    ResponderExcluir

Sejam bem vindos e,
Obrigada por visitar meu cantinho e deixar aqui o seu comentário.
Irei responder no seu blog ou email, não aguarde a resposta por aqui. Dessa forma, é bom que também te visito.
Beijos